TV Cachoeira - Rede Novo Tempo de Comunicação

Lixo é descartado incorretamente em Cachoeira; containers têm identificação errada

Lixo é descartado incorretamente em Cachoeira; containers têm identificação errada

Containers que são exclusivos para conteúdos recicláveis estão adesivados como “orgânicos”; além disso, recicláveis são descartados no lixo orgânico incorretamente.


Por Thays Silva 01/03/2022 - 08h37

Qual o impacto de um adesivo com a palavra errada? Em Cachoeira do Sul, os containers para depósito de lixo estão identificados de forma incorreta. O container laranja, que deveria recolher apenas os materiais recicláveis, tem um adesivo indicando que recebe lixo orgânico.

A equipe do NT Sul foi até um dos coletores laranja e verificou que haviam vestígios de grama, indicando que foi depositado material orgânico ali. Neste container está colado o adesivo indicando para depositar materiais orgânicos.

Fomos pedir um esclarecimento para a Secretaria de Meio Ambiente de Cachoeira do Sul, responsável por fiscalizar o trabalho da Conesul (empresa contratada para fazer a coleta de lixo no município). O coordenador da limpeza pública, Ismael Barbosa, não soube explicar o motivo do adesivo, mas garantiu que foi colado de maneira errada nos 50 coletores laranjas distribuídos pela cidade.

Ele ligou para o encarregado da Conesul e a informação dada foi de que o adesivo foi colado porque estavam sendo descartadas madeiras de forma incorreta.

“O nosso container laranja é pra armazenar todo o material que for reciclável. Papelão, latinha, plástico. E o verde continua com o lixo orgânico”, disse Barbosa.

E reportagem do NT Sul também conferiu o que havia no container verde, logo ao lado do laranja já verificado anteriormente. Ele continha caixas de papelão, apesar de ser apropriado apenas para materiais orgânicos.

Na última semana a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico alertou que menos de 10% do material plástico produzido no mundo é reciclado.

Em Cachoeira do Sul, em uma cooperativa onde trabalham 20 recicladores, grande parte do material chega sujo e misturado com restos de comida.

Uma das recicladoras, Janete Machado conta que até material orgânico chega junto aos recicláveis. Segundo ela, isso prejudica o trabalho da equipe.

“Atrasa bastante. Tem aquelas coisas misturadas e até demora mais na esteira”, diz.

Neste período de pandemia, materiais contaminados também estão sendo descartados junto aos recicláveis.

“Teste da Covid, máscara, agulha e luvas”, revela Janete.

Seleção e organização

É no galpão da Cocari que o trabalho de seleção e organização dos materiais recicláveis acontecem. As recicladoras ficam na esteira pegando todo o material que chega e dividem em 27 tipos, como papel e plástico, por exemplo. Os materiais são separados por cor e especificação. Posteriormente é feita a prensa dos recicláveis.

A recicladora Greice Barbosa conta que a meta diária é de seis fardos de recicláveis. “A gente coleta nas mesas (onde é feita a separação dos materiais), prensa e aí estoca até vir o comprador”, explica.

A Cocari vende 50 toneladas de materiais recicláveis por mês. Tudo vai para fora da cidade. E isso é o sustento para 20 famílias.

“Eu gostaria que o pessoal de Cachoeira do Sul tivesse mais conscientização de separar o material pra nós. Tem muita gente que ainda não sabe que existe uma cooperativa própria pra isso, que trabalha somente com material reciclável. Pote de margarina, shampoo, desodorante rol-on, tudo a gente coleta”, alerta Greice.

Greice explica ainda que os moradores podem ir até a Cocari para entregar os materiais ou se organizar para deixar o lixo na frente de casa no dia e horário que o caminhão da cooperativa passa.

Veja abaixo o cronograma com horários que o caminhão passa em cada rua ou bairro:

Endereço da Cocari:

Rua Marcílio Dias, nº 1837

Telefone:

(51) 3530-3790 ou (51) 9 9833-3755

JORNALISMO